Número total de visualizações de página

segunda-feira, 13 de março de 2017

Espero por ti

Espero por ti

Alimento-me pelas íris ao olhar o horizonte, alimento-me do mar, das ondas, da areia e volta e meia da sereia, que vem nas ondas, mesmo de fronte.
Já não me chega sentir a terra, quero mais, mais aventura, quero mar, quero sol e um brilho lá do céu que me chega da altura.
Alimento-me das estrelas, dessas sentinelas do luar, que me vêm a olhar, a sentir e a sonhar, que a donzela vem a remar numa linda caravela!
Alimento-me da criação, deste mundo vigilante, e sonho como amante, nas ondas de um mar, que me levam o coração.
Olho, vejo velas e mastros, sinto em mim muita alegria, gaivotas a adivinhar que a noite está a chegar e o mundo adormece o dia.
Olho e vejo alguém ao leme, vem a brilhar pela luz dos astros, velas ao alto abraçando os mastros e uma menina que me acena, porque já não teme.
Vem caravela, vem acender este meu pulsar, alimenta esta solidão que sempre me gela e deixa ancorar, essa linda mulher que continua a acenar.
Alimento-me desta vida, alimento-me do Deus dos homens à nossa semelhança, na certeza porém que o alimento convém até que exista esperança!
Vem ao longe no horizonte, uma donzela mesmo de fronte!


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.