Número total de visualizações de página

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Se for preciso

Se for preciso

Se for preciso eu socorro-me de antologias, nelas viajo onde se depositam os pensamentos, dos outros e de mim.
Se for preciso o meu pensamento será depósito, de uma vossa viagem depositada como se fosse antologia, como se fosse de todos e minha.

Se for preciso serei bíblia aberta, não a de um Deus Maior, mas a de um deus enorme que O Ama, ou serei sebenta escrita pelo enorme deus, que ama um Deus Maior e se for preciso serei…

Serei a medida, a forma, a opinião, o vestuário, a nudez, serei num todo a luz que sinto, ou então, se for preciso, serei no que sinto um nu vestido de opiniões, de medidas em forma amor.
Efetivamente talvez não seja preciso, que eu seja preciso, ou talvez eu seja preciso mesmo não sendo, o meu mecanismo é desejo de escrever.

Se for preciso, dosearei as palavras para que não sejam ditas todas hoje, ou hoje não direi todas as palavras que doseei para os outros dias.
Se for preciso serei oposição de um apagar ou acender de folhas em branco, ou serei, se for preciso, as folhas em branco em que me oponho ao seu acender ou a apagar depois de as ter escrito.
Se for preciso, eu não vou parar de escrever, ou se parar é porque não é preciso continuar, isto, porque não estarei cá… Cá é continuar, se for preciso!


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.