Número total de visualizações de página

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Saber amar

Saber amar

Hoje visto-me e dispo-me à minha vontade!
Multiplico as regras que me ensinaram e vivo sozinho nesta confusa multiplicação! A vida!
Vejo fantasma a deambular pela estrada, conheço alguns… Outros não!
Vejo aparências, dúvidas que vão e regressam continuamente como encenações teatrais!
Hoje vou tentar aplicar referências até que sinta e encontre as verdades ou as mentiras da vida!
Desdobro-me no cansaço a ponto de arrancar pedaços de dor que os outros me oferecem!
Vejo músculos atrofiados que em dificuldade se agarram ao esqueleto!
O tempo nada leva! Tudo fica intacto até ao fechar dos olhos… Depois tudo continua!
Vejo deformações que acrescentam lágrimas aos meus olhos e eu não choro! Vivo!
Hoje visto-me e dispo-me à minha vontade!
Hoje vou multiplicar as batidas do meu coração, vou sentir o calor sem hesitar, vou olhar o meu corpo e dar-lhe uma nova roupa!
O tempo nada leva! Hoje vou ser a infância recordada, a adolescência vestida de alegria e vou amar todos os fantasmas que vierem sorrir comigo!
Uns são conhecidos e são bons… Outros não me conhecem, nem eu a eles, serão abraçados e levados no mesmo amor!
Os outros não sabem quem sou e eu quero que me conheçam…
Eu sinto-me vestido num mundo inferior e quero que os outros se vistam na superioridade do tempo que aí vem… Vamos crescer…
Hoje visto-me e dispo-me à minha vontade! E quando vejo fantasmas a deambular na minha estrada, sinto vontade de os abraçar e as lágrimas vivem comigo para nascerem… E eu não choro!
Mas vivo vestido de amor! Visto-me e dispo-me à minha vontade e os outros?


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.