Número total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Quando acordo

Quando acordo…

Quando acordo sinto na luz que me ilumina, uma metade, a parte da imortalidade…
A outra parte é a transgressão e a fuga uma metade que me é indiferente!
Sorrio quando acordo, talvez por sentir a lareira ainda acesa… Talvez pelo instrumento erótico ainda se sentir comigo!
Quando acordo coloco os pés no chão e o sangue desce pigmentando a cor da minha pele, sinto o calor e uma enorme vontade de caminhar…
O destino é esse, caminhar!
Pelo chuveiro corre uma fina e maravilhosa água, dádiva que me convida a um banho… No início é a razão de uns suores que se diluíram no sono, pois antes, muito antes tinha brindado com energia, a luz que me oferecia o amor!
A água lava e purifica a mente para um dia mais… Não há ser humano cem por cento fiel à pureza do banho, mas eu, sinto nele uma parte feminina! Talvez por acordar e tomar banho com ela…
Ela é quem me faz acordar… Ela é o princípio… A metade do meu caminhar… É ela que já lá está e me aceita… Ela a pureza da minha vida… A luz que me acorda e a mão que sinto quando a água escorre sobre mim!
Quando acordo sinto na luz que me ilumina, uma metade, uma parte da imortalidade… … Ela...
A outra metade é a transgressão e a fuga a quem me é indiferente!
O meu destino é caminhar… E a meu lado, quem quiser que venha… A luz é de toda a gente!


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.