Número total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Olho-te como me olhas

Olho-te como me olhas

Quero contar-te porque cintilam os meus olhos, falar-te da íris que te beija e que em tudo que ama vê ouro.
Na realidade, os meus olhos são como os meus dedos, quando estes se entrelaçam e jogam amor entre eles… Eles são as mãos numa realidade óptica, eles substituem a vontade táctil.
Quero muito contar-te… Seria hipócrita se escondesse o quantas vezes fiz amor contigo, somente num olhar puro e capaz de me transmitir verdades escondidas.
Quantas fotos levei gravadas na mente, tiradas de tão perto que quase te toquei… Meu olhar é profundo… Húmido e Louco.
A loucura está em cada partícula cristalina, que assume o papel de fazer surgir do nada, algo que jamais terei visto!
Meu olhar assim te imagina ou vê.
Quero contar-te… Talvez o que te conte não seja segredo… O teu olhar é igual ao meu, pelo menos sinto no teu cruzar de pernas, a força que empregas ao me olhar… Tão puro, fixo e carregado de promessas.
Quero muito contar-te… Espero por ti… E assim falaremos olhos nos olhos…


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.