Número total de visualizações de página

domingo, 26 de junho de 2016

como seria, se eu não chorasse

como seria, se eu não chorasse

mais uma vez os aborrecimentos saciam a dor e a ausência da fonte do amor.
foge-me o pestanejar, bloqueado pelas lágrimas que indicam nuances e sensações de frio… Este arrepiar que exalta e apaga o meu olhar.
oh! como seria possível viver de olhos abertos, sem te ver.
oh! como seria desejar o chão onde me encontro e não te ter.
mais uma vez me afogo nas pálpebras pesadas, pela carne, pela fonte que não bebo.
foge-me o olhar sem brilho, sem inspiração, sem mistérios por conhecer, somente o próprio amor imortal.
oh! como seria poder ensinar-te as lágrimas que choro.
oh! como seria abraçar-te e pelo teu pescoço olhar a lágrima que escorre devagar.
mais uma vez olho o chão, qual Narciso, na esperança que flutues na água da minha vontade.
mais uma vez… talvez muitas mais.
os meus olhos não secam, por ti… oh! como seria, se eu não chorasse.


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.