Número total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Beija-me daí...

Beija-me daí…

Que o amor seguinte não interrompa o amor de agora
Que o amor de outrora seja sucessivamente, amor sem demora
Que me saiba interceptar os desejos
Os fluxos contínuos, como contínuos são meus beijos
Que a arte evolua ao mesmo ritmo que a vontade
Que o amor seja, eterno, puro e sem idade

Beija-me daí…

Que o fantasma que vejo pela noite me apareça de novo
Que a sombra que caminha seja tua
Que os gemidos sejam parecidos, com a voz do povo
Os gritos surdos e o agarrar, seja de pele nua
Que a coroa de rainha te faça corar, depois de coroada
Que o cansaço seja do amor, de uma vida sempre amada

Beija-me daí…

Que eu daqui, já te beijei, porque te amo…



José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.