Número total de visualizações de página

sábado, 29 de novembro de 2014

Vou casar

Vou casar

Namoro uma flor desabrochada
Uma lua no céu plantada, na luz do jogo
Vestida de amor de pele molhada
Na água exaltada pela vontade do fogo

Namoro um sol que se ergue pela graça
Um mar de horizonte marcado pela alma
Vestido de azul de sonho com raça
Num corpo de mulher que o homem acalma

Namoro a candura de um poema cantado
Uma prosa maliciosa pela beleza sensual
Vestida de calor num desejo marcado

Vestida de ardor neste corpo tão real
Que namora a vida pelos sentidos do amado
E assim vestido, vou casar com o mundo tal e qual


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.