Número total de visualizações de página

sábado, 16 de agosto de 2014

Cartas de poesia

Cartas de poesia

Teus lábios reflectem no rio… Apetece-me chafurdar no vermelho, a cor da atracção, a cor do beijo.
Sinto a presença do amor que escrevo… Sinto… São cartas que coloquei no navegar dos meus sonhos… Sinto… Parecem barcos, que também vieram olhar os teus lábios reflectidos no rio…
São teus… E…
Apetece-me humedecer os dedos na água fria… Na procura do calor por entre o vermelho sedutor… Teus lábios são incrivelmente belos.
Cada carta que desliza, transporta uma mensagem, a distância entre o poema e a vontade nela contida… Amo o vermelho dos teus lábios…
Os meus… Vão navegando até ti…
Parecem barcos que transportam mercadoria… Mas… Somente levam amor… Poemas que escrevi enquanto sonhava nas margens deste rio…
Teus lábios não me deixam cansar, escrevo continuamente para ti… Amo-te até à exaustão… O vermelho transporta-me à vontade de chafurdar… Deixa-me chafurdar no vermelho deste rio, onde sorris.
São teus… E…
Prometo que na próxima carta, escreverei um poema só para ti… Sentirás no papel branco, o vermelho dos teus lábios e no poema sentirás os meus lábios que te desejam.
Os meus… Vão navegando até ti…
Apetece-me mergulhar na tua abundância… No poema deixarei a assinatura dos meus lábios… Mas…
Os lábios que reflectem no rio deste meu sonho, são os que me inspiram a escrever… Amo-os… Amo-te…


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.