Número total de visualizações de página

sexta-feira, 21 de março de 2014

Amo-te... Porque me tocas

Amo-te… Porque me tocas

Porque me tocas, eu me confesso a ti, poesia
Lembro-me o dia…
O tempo em que entraste dentro de mim
… Jamais te ausentaste
Lembro o dia em que me levaste
E te senti a pedir-me para ficar…
Prometi sempre deixar,
que te soltasses por tua livre vontade
Porque sempre me quiseste abraçar
Sentir-me como a areia sente o mar
Como as estrelas reluzentes, se sentem no ar…
Sementes

Porque me tocas, eu partilho as imensas letras
que correm em minhas veias
São como teias que se agarram a mim,
na vontade que eu seja feito de poesia
Que seja tecido de palavras completamente sentidas…
O meu corpo se sente assim, agasalhado
Vestido da sua candura… Da escrita mais pura

A poesia…

Porque me tocas, eu te levo sentada neste regaço,
abraçada e tocada por cada braço
E ao apertar-te sinto que és minha,
tão minha que em cada segundo,
te ofereço ao mundo
O meu/teu mundo
O olhar de cabeça erguida e te levar no coração…
És o meu chão

Porque me tocas completamente… Imensidão
Eu sou para ti a mais simples das palavras,
A que escrevo na verdadeira e intensa claridade
A luz e o carinho dos caminhos por mim pisados,
levados com amor e toda a magia
Porque me tocas, eu te amo
Te amo tanto… Poesia

José Alberto Sá



Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.