Número total de visualizações de página

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Sei lá...

Sei lá…

Sei lá porque os meus olhos encaram o horizonte,
transformando a íris num farol que ilumina o amor…
Será minha ponte?
A linha que ao longe me parece sempre igual…
Mas para lá… Sei lá…
Sei lá porque a imagino amarrada a mim,
como amarrado está este meu mar angelical

Sei lá…
Sei lá porque as mãos se erguem,
a esse infinito mar que me fascina
E ao longe… A linha da vida…
Uma linha tão querida vestida no horizonte,
para que os meus olhos sejam testemunho do meu sentir
Esse mar que me adoça o sorrir,
pois nele vejo um corpo de menina

Sei lá, se a sereia que imagino abraçada na espuma,
é essa menina perfumada
Uma graciosa flor que plantei no mar do meu sonhar,
pois ela é só uma
Uma linha onde se esconde o sol,
onde a lua se aproxima na maré
Sei lá… Ao que se destina o horizonte
Somente sei que tenho vontade de beber desta fonte
Uma linha por mim amada, nas conversas a um céu,
na minha fé

Sei lá… Sei lá se um dia atravesso em pleno amor este sentir
Esta linha que me suga, na vontade de atravessar
Um horizonte de paz, amor e felicidade
Um mar, uma terra... Toda a verdade
A linha que atrai o melhor do sonho… A linha do amanhã
O amor… Sei lá… Sei lá


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.