Número total de visualizações de página

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Quem serei eu?

Quem serei eu?

Serei eu um louco
Ou somente…

Somente um ser triste, que se irrita… Que se amargura
Eu sei que sou louco… Sou quem se humilha
Sou aquele a quem ao amor, chamou de filha
Aquele a quem se deu a toda a largura… Amando o Homem que na cruz, morreu pela gente

Serei eu um louco
Ou somente…

Somente um ser que pensa que tudo merece, serei eu como o pobre que se entristece, pela vida sem vida que acontece
Serei eu… Aquele a quem o sol ilumina a estrada e me leva em torno do que senti
Sinto-me esse ser errante… Contente… Sinto como sente alguma gente
Serei eu… Um louco que somente…
Somente caminha por aí

Serei eu um louco
Ou somente…

Serei com certeza, esse louco
Afirmo…
Sou um louco pelo mundo escrito pelas minhas palavras… E não é pouco
Porque mesmo sendo eu louco…. Afirmo…
Amo o chão como se eu fosse um mendigo
Amo a terra que me viu nascer… A terra que me irá enterrar… Amo o céu… Amo o mar

Serei eu um louco
Ou somente…

… Semente
A lágrima desprendida pelo meu rosto… Uma terra onde a cruz se ergueu
Serei eu…

Um louco que ama e não é compreendido… Talvez um dia me possam ler… Ouvir
Porque posso ser louco… Muito louco por amar… Um Deus ressuscitado
Um Deus por mim amado
E talvez um dia este louco aqui… Se faça ouvir a sorrir
Mesmo que nas risadas de um povo medíocre, talvez a palavra seja a obra iluminada
Pela candeia de quimeras, que nos abraça afagando a dor
São as palavras de um louco…

Este que pensa… Serei eu
Um louco por amor
Com certeza… Sinto em Deus a minha cor.

Serei eu um louco
Ou somente…
… Sou


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.