Número total de visualizações de página

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Aceita-me como sou

Aceita-me como sou

Quero ser teu…
Pede-me as entranhas e satisfaz o teu desejo
Pede-me as estrelas, deste pecado meu
E brilha na amplitude… Vício inquieto como num beijo
Quero ser teu… Completamente humedecido
Pede-me antes de levantar… Depois peço eu
Esse impetuoso sol que me faz apetecido
Quero ser teu, como és minha neste meu céu

Quero ser teu ao levantar… Ai se me deito
Sentirei a entranha erguida no chão do lençol
Pede-me e levarás o meu calor ao teu peito
Numa dança colorida, em perfume de mentol
Quero ser teu durante o tempo que vamos contar
E nessa contagem, contigo sigo viagem
Pelas entranhas que se misturam,
na mesma forma de amar
Quero muito os teus gemidos… A mais linda imagem
E sonhar…

Quero ser teu amor
Também quero que sejas minha eternamente
Pede-me para que possa saciar as tuas vontades
Quero ser teu em calor
Ser o escravo que em ti lavra e enterra as sementes
O teu servo sem vaidades
Quero-te para mim somente… Única e perfeita
Pede-me e te darei… Pois o teu sol me levou
Mas me perdoa o meu ser que ama e me aceita
Pois assim serei teu um dia… Neste querer,
na vontade do homem que hoje sou


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.