Número total de visualizações de página

sábado, 11 de janeiro de 2014

Tu és a razão

Tu és a razão

Tu és a razão do verde prado
Tu és a razão deste meu fado
Vem amor
Vem ver o verde teu
Ver o fado meu
Ver a razão

Sou o prado louco
Sou a razão que sabe a pouco
O fado do meu odor
Tu és a razão do mar azul, tão brilhante
Tu és a razão do amor a cada instante
Vem-me ver, meu amor

Vem ver o teu azul no corpo nu
Vem ver a loucura que dizes tu
A razão do meu verde esperança
Tu és a razão que me alcança
Vem amor
Vem ver como é doce a minha dança

Vem ver a razão
Porque enlouqueço
Teu corpo, tua alma o meu coração
A razão do verde que não esqueço
Tu és a razão do meu pecado
Tu és a razão em todo o lado

Vem amor
Vem ver o tresloucado
Vem ver como estou apaixonado
A razão do verde do meu olhar
Tu és a razão do sol e do mar
A razão do poema que te quero dar

Tu és o perfume das flores do prado
O perfume que me leva enamorado
A essência do amor e da razão
Meu amor… Teu amor…
A minha mão


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.