Número total de visualizações de página

domingo, 17 de novembro de 2013

Teu aceno

Teu aceno

E no gesto que me fazes,
eu amo o silêncio
Quando me acenas com a mão e sem nada dizer…
… Dizes…
… Vem…
E no erguer do dedo, eu sinto
o erecto momento que desejo contigo
Palavras para quê…
Quem não sente, não vê

E o tempo é aquele que morde
… Afaga
É a mão que acena um coração que explode
… E sente a vaga

E no gesto que me fazes,
eu deliro pelo sorriso
Quando me acenas em gestos capazes
De me levar ao que preciso…
… Tu

E o tempo é aquele movimento,
que me transporta num corpo nu
Despido de vergonha, mas vestido de sentimento
... Também te aceno
Com um gesto como quem chama
Por ti… Te reclama
Pois o tempo é pequeno

E no gesto que me fazes,
eu vou…
Tu vens…
E ambos audazes
Nos abraçamos em calor
É o tempo e o aceno
Que faz de mim quem sou…
… Amor


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.