Número total de visualizações de página

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Coito no papel

Coito no papel

O coito da palavra
Ah que prazer que me dá
Pegar-te… Deslizar-te
Amar-te
Em cada traço desenhado
De cá, para lá
O coito louco sobre as linhas
Um bico
Uma pena que desliza
Sobre um corpo que não abdico
Um papel que me escraviza

O coito que se faz pela humidade
Pela caricia da ponta
Descarga de tinta
Que ama cada palavra com vaidade
E monta
Monta o poema, a prosa… Textura
E pinta
Pinta com amor
Com fervor
Que dura

… E dura é a vontade de mais
Mais prazer
Mais coito sobre o gume
Em dedos que agarram pela base
Ais… Muitos ais
Gemidos pelo saber
Em palavras do conhecer
Que ardem sem lume

É o coito das palavras… Quase
Quase êxtase… Quase o aus
O náufrago das naus
Num mar de palavras… No prazer
No coito…
No amor que existe em mim
Sem fim
… Escrever


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.