Número total de visualizações de página

quinta-feira, 27 de junho de 2013

O amor quer trago

O amor que trago

O amor que sinto é tímido e reservado
É estranho
É o amor que trago

É o bater de alguém que vive dentro do meu peito
É a saudade
O amor que trago...
Quer ser doce… Ser verdade
Um sopro de vida, um gesto perfeito

É o amor que trago

O amor…
Uma voz
Um olhar
Uma palavra escrita em poesia…
Uma flor
Sóis vós
É a luz do dia
O amor de quem sabe amar

É o amor que trago

Difícil falar deste amor na sua definição
Sem disfarce, sem ilusão
Transportar para o meu papel
E ao ler... Pedir que me acompanhe no tempo
Poder sentir que lhe dou oportunidade
A capacidade
De se diluir em aromas… Ser mel
Voar pelos sentidos… Ser vento

Escrevi no papel

O amor…
O amor que sinto… É ser o anjo que fala
Tímido, reservado… Mas sem pudor
Ser amor… Na palavra de um sussurro que não cala

É o amor que trago

Quando no toque suave
Sinto o voo da ave
E te digo… Te amo
Quando no toque do vento
Sinto o alimento
E te digo… Não me engano

Quis… Quero e continuarei a querer
Um amor

Um amor que trago...
Que não quer despedida

Que me chegue em luz, em raios de linda cor
O meu amor… O meu ser
A minha vida

É o amor que trago



José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.