Número total de visualizações de página

sexta-feira, 15 de março de 2013

Meus dedos, minhas mãos


Meus dedos, minhas mãos

Sente a minha mão na tua cara
Porque...
Quero sentir a leveza do algodão
Uma pele rara
Um olhar que me agride completamente
Como palmadas de um coração
Que sente, que grita, que te chama
Sente o meu dedo polegar
Que te beija docemente
Como minha boca queria beijar
Uma língua que te reclama
Sente a minha mão a deslizar pelo teu ombro
Quero que sintas a elegância,
de um gesto meu
Um toque fino,
dedos tacteando pelo assombro
Algo escondido debaixo do véu
Sente a minha mão nos vales e montanhas
Quero sentir as ondulações do teu mar
Entrar nas húmidas entranhas
E por ti acima… Poder voar
Sente e respira através do teu gemido
Quero que venhas ver…
Como é bom levitar
Pelas mãos de um ser
Que ama e gosta do dever cumprido
Não deixar uma pele como a tua
Sem levar o meu parecer
Num olhar meu… Onde estás nua

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.