Número total de visualizações de página

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

O espaço vazio é teu...


O espaço vazio é teu…

Porque sinto a falta,
sem saber de onde!?
Quando, como e porquê!?
Essência e fragrância,
num olhar que te apalpa
Perfume desconhecido que meus olhos,
teimam em perseguir
Meu peito se rasga teimando sorrir
Na luz que o teu silêncio ainda não vê
Reflexos que de mim saem aos molhos
Vindos de um sol,
que são os teus olhos
Que enigma é este de um olhar somente
Da incógnita que já não sou
Porque te sinto presente
A ti,
clave de sol que me desvendou
Escrevo aqui o mistério evaporado
Pó que sinto na garganta
Grãos de ausência por todo lado
Quando, como e porquê, se a vontade é tanta
Por vezes sinto o deserto
Quando menos espero encontro o mar
Um mar de sonhos, aquele que me domina
Um mar que me suaviza o aperto
Realidade… Feminina
Num abraço que nunca se chegou a dar
Um beijo que imaginei soltar
Na pureza do meu sonho
Quando, como e porquê!?
A pergunta que te ponho!

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.