Número total de visualizações de página

domingo, 9 de dezembro de 2012

Ao acordar


Ao acordar

Era manhã
Lembrei-me de ti
Queria te amar naquele momento
Ao frio, ao vento
Mesmo ali...
A neve cobria o verde do teu olhar
As flores continuavam a dormir
Os pássaros tinham parado de voar
O frio era dono do meu sorrir
Era manhã
A neve, era a noiva de branco
Casada com o céu
E eu...
Olhava pela íris do meu sono
Aquele manto...
Fundia-se com luz do meu sentir
Na vontade de não estar sozinho
Espreitava dali o meu abandono
Escrevi este poema, queria-me abrir
No caderno frio do meu carinho
Era manhã e eu acordava
Era manhã e eu espreitava
Na ansiedade de descobrir,
o verde do teu olhar
Era manhã e o dia iria vir
A noite chegaria... Teria de esperar
Sem pressa... Mas com pressa
De te amar...
E quando o sol apareceu
Eras tu... Vinda do céu

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.