Número total de visualizações de página

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Tantas vezes...


Tantas vezes…

Tantas vezes amei o mar
Que me dá vontade de o abraçar
Tantas vezes… Tantas vezes o devorei
Na sombra do coito, quando o namoro
E aí ele me oferece um beijo em sais de sal
Tantas vezes…
Eu já o beijei
Debicadas quando me deito no amor do seu colo
E me deixo adormecer
Tantas vezes que não há amor igual
E quando acordo, jamais o quero esquecer
Amo o meu mar
Tão verdade como amar o meu sol
Tantas vezes como amar a minha lua
A menina nua no seu luar
Tantas vezes como amar as estrelas
Na sua cor girassol
Tantas vezes eu amo, que hoje quis descrevê-las
As minhas vontades
As minhas vaidades
As minhas saudades
Tantas vezes… Tantas como a vontade de abraçar
O tempo
O vento
A terra
A serra
… O mar

José Alberto Sá

1 comentário:

  1. Tantas vezes...Leio,releio, e cada vez mais..Adoro o que escreve...Maravilhoso.!!!!!!!!!!!! bjinho Poeta

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.