Número total de visualizações de página

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Não te vás...


Não te vás...

Porque choro sempre que vais
Muitas lágrimas…
Porque imploro sentimentos tais,
que me levam ao desespero
Choro e não quero
Mas a tua ausência me dilacera
Quem me dera,
não chorar
Lágrimas…
O teu silêncio me sufoca
Meus olhos se revoltam
E não sei quando voltam,
as palavras da tua boca
Choro por não te ter amor
Choro sempre que te vais
Sentimentos normais,
de quem ama
Meu soluçar derrama
Lágrimas de amor, meus ais
Choro amor, não te ausentes do meu ser
Meus olhos vermelhos cegam
E não me negam,
a vontade de te ter
Lágrimas escorridas
Numa face que sonha contigo
Lágrimas do meu castigo
Lágrimas que sofrem pela despedida
Te amo mesmo que vás
Te quero mesmo ausente
Te adoro só de te imaginar
Te desejo e isso me satisfaz
Lágrimas que meu coração sente
Água que choro por te amar
Puras e sentidas em minha boca, salgada
Lágrimas na vontade de um beijo
Quando te vais… Meu desejo
Numa lágrima de amor, por mim derramada

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.