Número total de visualizações de página

domingo, 30 de setembro de 2012

Deitada em meus braços


Deitada em meus braços


Nos braços a ténue luz do teu olhar
Meu bebé...
Meu sentir,
um raio, uma luz, o luar
Meu bebé...
Nos meus braços, quanta fé
O sentir do amor
Pressenti que o vento não soprava
O sol já ido,
 iluminava a luz da lua
Nos meus braços o seu perfume
O meu bebé, menina nua
A melhor estrela que me apareceu
Aquela que mais me reluz
Nos meus braços, nem um queixume
Dormia o meu bebé, à luz do céu
O meu bebé...
Um corpo deitado só para mim
Um corpo amado num beijo apetecido
Meu bebé, meu jardim
Meu bebé já crescido
Meu amor que à luz me falas
Bebé que em palavras me cativas
Nos meus braços já não calas
Num beijo dado em mistura de salivas
Meu bebé...
Meu louvor...
Nos braços embalo... E tudo é...
E tudo que sinto nos braços,
é amor

José Alberto Sá

1 comentário:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.