Número total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Nudez de verão


Nudez de verão

Saltavam areias, pedras calorentas
Por cada movimento de anca, cada passo teu
Eu olhava para ti, disfarçado nas ondas do mar
Arrepiado pelas cócegas sedentas
Ondas provocadoras, de quando olhava o céu
E me faziam crescer algo de amar
É verão…
Deitei-me e ofereci ao calor, as minhas costas
Queria sentir o sol a me queimar
O castigo do momento… Pois não me contive
Fazias-me transpirar
Sonhando com coisas que nunca tive
Coisas perfumadas, como só tu mostras
É verão…
Fiz uma covinha, na areia fina
Vergonha que me vissem
Como uma caravela sem vela
Mas tu levavas as areias por mim acima
O calor do sol aumentava, na sua cor amarela
Pernas nuas, fio dental…
Quando tudo rima
Fenomenal
É verão…
Seios firmes, tapados por nada, ou quase…
Chapéu de sol e um sorriso de luar
No corpo espalhado o branco da base
Um creme que te fazia brilhar
Tudo parecia um sonho, uma visão
Maresia de areias cantando marés com a lua
Um tempo de verão
Que eu amava, só para te ver
Assim…
Quase nua

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.