Número total de visualizações de página

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Carta ao luar


Carta ao luar

Tenho lido teus escritos
Que saudade da melodia
O tom da tua voz que sempre me dizia
Amor… Te amo
Tinhas dificuldade em compreender meus ditos
Tantas vezes quis que em mim acreditasses
Hoje…
Vejo-te em cada voar de andorinha
Em cada nuvem que passa
Hoje…
Ao acordar… Pensei que já eras minha
Senti calor no meu travesseiro
Que saudades… Não sei que faça
Simplesmente peço que regresses depressa
O meu relógio parou o ponteiro
As horas agora são promessa
De um tempo sem tempo para me escutar
Hoje…
Quis eu renovar o meu sentimento
O meu maior desejo
Te amar…
Ser teu alimento
… Num desejado…
… Beijo
Nunca dado…
Hoje…
Ao luar vi-te na lua
Tinha-te visto no sol, durante o dia
Estavas de branco translúcido, iluminada…
… Nua
Amei e desejei ouvir-te para minha alegria
Nada ouvi… mas recordei tua voz
A tua gargalhada
Hoje…
Ao luar… senti que não estávamos sós
Estava eu, Deus e minha amada
Foi bom sentir e me lembrar do teu perfume
Tenho imensa saudade
Que na verdade
É o meu desejo, meu sonho…
… Saudade do teu sorriso, meu lume

José Alberto Sá

2 comentários:

  1. missiva ..maravilhosa...que esse sonho perdure e a chama se intensifique...amei.bjinhos..querido..não devia..mas digo .Meu.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.