Número total de visualizações de página

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Bebo teu sangue


Bebo teu sangue

Uma mordida suave
Um pescoço perfumado
Boca sequiosa que se abre
Um beijo quente e molhado
Sou vampiro…
Sou aquele que te beija
Na mordida que admiro
Sugo o sangue de dentro de ti
Sou o vampiro que te deseja
Num pescoço onde escrevi
Sou vampiro…
Sou a doce dentada
Menina perfumada
Doce, bela e carente
Mordida docemente
Pelo meu dente que te arrepia
Menina magia
Sou vampiro…
Na minha cede, minha vontade
Amo sentir o calor do teu pulsar
Delicada vaidade
Ser mordida pelo luar
O crepúsculo dos meus olhos
Penetração da íris num peito decotado
Rasgo nos folhos
Seios erectos, pelo prazer devorado
A mordida do vampiro
Na minha vontade, na tua
O sexo que respiro
A noite, o pio, a lua
Minha mordida
Sou vampiro…
Menina nua

José Alberto Sá

1 comentário:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.