Número total de visualizações de página

terça-feira, 8 de maio de 2012

Quero amar...


Quero amar...

Não vou,
não vou guardar mais o segredo
Vou gritar,
sem ter medo.
Da prisão da mente fria
Da prisão sem alegria
Do poder que não me afoga
De um mundo que está na voga
Do dinheiro que não tenho
E do amor em que me empenho
Eu vou gritar até partir.
Eu na rua correrei
Sem medo, não temerei,
esta vida em jejum
Faces sem sorrir,
na gritaria de um povo já farto
Nas conversas que baloiçam e eu não sei
Nos berros de crianças, no grito de cada um
Sou o mendigo que aqui venho
Sou um mendigo que me parto
Num grito de muita fome
Um gritar que me consome
Na gargante que te berra,
Nisto grita,
Nisto pula,
Na mente que está guerra
Mente aflita
Mente fula
Não vou guardar mais o segredo
Não vou pedir a protecção
Vou levar todo o enredo
Num grito de coração
Vou gritar até ficar rouco
Na garganta da minha ira
Vou gritar mesmo que louco
Uma vontade que não me tira
Deixem-me em paz
Deixem-me de louco amar
Deixem-me para trás
Mas,
deixem-me gritar...

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.