Número total de visualizações de página

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Políticos


Políticos

Vejo-vos sentados na ponta de uma agulha
Política arrepiante!
Uma dor fina mas constante
Um picar aguçado e marcante
Uma dor que bem merecias
Escorregais sobre um corrimão de lâminas afiadas
Assim vos imagino, como num atear do fogo
Incêndios de pobreza vossas manias
Ganância e jogo
Lavareda que devagar nos corrói
Chama em chama cavalgando
Roubo, morte, raiva, a alma que mói
Vosso jogo, que me vai arreliando
Já nem as agulhas vos ferem
Já nem as lâminas vos cortam
Já nem os fogos vos querem
Os desejos de fazer bem, por vós abortam
Porque tu, mal acarinhado… Não paras
Porque tu, mal-amado… Não sentes
Porque tu, rejeitado… És um jogo, coroa ou caras
Porque tu, reprovado… Mentes
Imune, nome que vos fica bem
Indolor, nome que vos deveria chamar
Inglória, é o nome de quem não tem
História para contar
Tu, que roubas… Irritas-me só de te ouvir
Tu, que me despes… Provocas-me só de te sentir
Tu, que me decepcionas… Nada vales
Desabafos meus ou… mesquinhices
Desejo o deslizar de lâminas para que não te cales
Na ponta da agulha vos vejo… Politiquices


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.