Número total de visualizações de página

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Fumar mata


Fumar mata

Consigo penetrar por entre o nevoeiro
Que não vos deixa ver
Que não vos deixa sair desse cativeiro
Cigarros sempre a acender
Imaginai um jardim e...
...Vinde
Vinde ver
Dai as mãos uns aos outros, não vos perdeis
Caminhai a meu lado sem vos largar
Vinde... Devagar
Não vos canseis
Por entre nevoeiro eu sei respirar
Vinde comigo, pois vamos conseguir
Passar as tormentas de uma luz inexistente
Na ponta do cigarro acesa
Vinde a sorrir
Tereis saúde sobre a mesa
O ar puro virá e nos levará para sempre
Atrás de mim
Já nada resta
O nevoeiro já não presta
E o ar puro é já ali
Ali na nossa frente
Olhai!
Ali o ar absorvente
Parai!
E respirai este ar puro
Sem filtros, sem muro
Olhai e apreciai o mundo que me pediste
Á minha frente o nosso rumo
Não há vício a quem não se resiste
Vinde... Ao mundo do não fumador
Eu... Não fumo
Assim a vida tem outro sabor

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.