Número total de visualizações de página

domingo, 13 de maio de 2012

Anjo sem asas


Anjo sem asas

Um anjo chegado na alma
Declamou querendo encantar
Com toda a sua calma
Pensou tudo enganar
A mim? Não!
Anjo que poisou na minha terra
Se ajoelhou falando em alegria
Candura da serra
Olhar de magia
Poisou em poesia
Encantou pelo olhar
E pelo seu falar
Quis ultrapassar
A mim? Não!
Falas bonitas na frente
Sussurros de perdição
Mente… Mente
Uma pomba na mão
Um coração aldrabão
Mas, a mim? Não!
Um anjo sem asas de falsa projecção
Um anjo sem auréola cor do luar
Cantou sentimentos
Encantou momentos
Sem conseguir voar
Então…
Se foi embora, alegre
Deixou a imagem que nunca teve
Encantou sem encanto
E se foi na sua candura
Cara de anjo, mente impura
Chegou para elevar a poesia
Somente elevou a mania
E num momento profano
Encantou por engano
A mim? Não!

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.