Número total de visualizações de página

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Somente tu...


Somente tu…


O céu se cobriu de pombinhas brancas

Eram tantas… Tantas!

Brancas de puro algodão

Que louca sensação!

Batiam as asas suavemente

Todas branquinhas

Pensei que eram minhas

Olhem o meu céu… Meu coração sente

Vejam a pureza do meu céu

Vejam como são todas iguais

Perninhas ao léu

Olhos de amor

Asas de veludo… Perfume jasmim

Cânticos melodia… Alma de Tenor

Vejam… Vieram até mim

O céu se cobriu de aves milagrosas

Encheu-se de meninas vaidosas

Que voaram até ao sol

Desaparecendo no horizonte

No chão pétalas de girassol

Uma pena… Uma ponte

Uma travessia… Uma fonte

Elas se foram…

A mais bela ficou… Branquinha como a espuma

Uma pombinha que me quis conhecer

Sorriso doce… A mesma pluma

Olhei-a… Conhecia…

Amei-a… Magia…

O céu se cobriu de pombas brancas

Todas se foram… E eram tantas

Mas uma ficou

A que me amou

Jamais irei esquecer… Aquele dia

O dia em que o céu foi meu

Jamais esquecerei tanta alegria

Naquela pombinha que é o meu céu


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.