Número total de visualizações de página

terça-feira, 17 de abril de 2012

Há mesa


Há mesa


Teu olhar sorriu quando me viu

Tuas mãos frias aqueceram

Teus lábios carnudos me absorveram

Em beijos desejados

Tuas mãos me agarraram… Tudo sorriu

Estávamos hipnotizados

Na mesa aconchegados

Na partilha de um café aromático

A língua ansiosa queria dançar

Teu olhar estava estático

Ambos queríamos amar

Senti teu coração junto do seio

Minha mão desejosa parou a meio

Não podia magoar

Pelo simples facto do desejo

De mais a baixo tocar

Ficamos ali… Pelo simples beijo

Namoramos… Foi bom

Roçamos narizes

Carícias e mimos

Eu sei amar na simplicidade… Tenho esse dom

Sei porque tu o dizes

Sei porque naquele abraço que pedimos

Não o quisemos dar

Guardamos para outra ocasião

Num momento só nosso

Onde me deleitarei… Num gesto que posso

E me entregarei de coração

Ali somente nos amamos e foi belo

Somente soubemos acreditar

Que o amor é arte no derreter de caramelo

Rebuçado adocicado

Que ambos queremos devorar


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.