Número total de visualizações de página

domingo, 11 de março de 2012

Quero-te dizer...


Quero-te dizer...


Boca seca

Pó da terra

Áspero arranhar de língua

Secura da vontade que peca

Pó da serra

Do mato

Boca seca pela coragem

Áspero cacto

Que me arranha

Secura na entranha

...

Pó de sufocante respirar

Boca sem vontade

Picado falar

Raspa de limão

Palavras em metade

Pó bolorento

Ferido coração

Paladar peganhento

Boca ensanguentada

Ferida

Pelo trago da vida

Boca calada

...

Pó... Na palavra perdida

Palavra partida

Boca seca pelo grito

Que não se deu

Boca seca pelo dito

Que não aconteceu

Boca de seco prazer

Uma palavra sem sofrer

De uma boca que quer dizer... Amo-te


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.