Número total de visualizações de página

domingo, 15 de janeiro de 2012

A visita


A visita


A chuva era fria

A voz... Essa estava rouca

Os pés brancos doíam o meu olhar

Tremer... Sem chorar

Era o que ele fazia

Seu corpo quase sem roupa

Faziam seus dentes bater

Seus olhos olhavam-me querendo

Suas mãos queriam tremendo

E eu...

Olhava enlouquecendo

Com vontade de muito fazer

...

Levei-o para minha casa

Roupa lhe ofereci

Com uma toalha o enxuguei

Senti no corpo, uma asa

Foi tudo o que senti

No tempo que devorei

E eu...

Já nem sei... Se eram asas onde toquei

Se o sorriso que via...

Vinha transportado nas palavras em magia

Se era um anjo? Não sei...

Sei que sentia alegria

Ali junto à lareira...

Uma mão se estendeu

Uma luz entrou pela janela

E a mim se ofereceu

Um anjo!

Um anjo que voava na luz mais bela

Um anjo que me sorriu

E ali ao céu subiu!

...

O mendigo era eu olhando sua mão

O anjo é a luz da minha felicidade

A luz... A vontade do meu coração

Deus em minha casa é uma verdade


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.