Número total de visualizações de página

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Turbulências


Turbulências


Fujam…

O chão vai abrir

Fujam porque eu já sinto

Meu coração a partir

Fujam…

A terra treme

É o meu nervosismo

Num barco sem leme

Fujam…

O céu vai desabar

Sinto aperto no corpo

Um sufoco

De um louco amar

Fujam…

O mar nos vem buscar

Sinto a água me afogando

Como num beijo por dar

Fujam amando

Fujam…

O vento nos engolirá

Sinto-me num remoinho

Sem amanhã

Sem caminho

Fujam…

Sei que não o devo

Pedir que fujam do nada

Da sorte num trevo

De uma vida parada

Então não fujam…

Desculpem…

Me culpem

Da vida danada

Desculpem…

Eu sim tenho de fugir

Das tempestades do meu pensar

Vós vos deveis unir

Que eu irei reflectir

Desculpem!


José Alberto Sá

1 comentário:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.