Número total de visualizações de página

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Silvestre


Silvestre


Planta silvestre

Que de espinhos se veste

Enrolada em meu valo

Menina delgada

Que picadas me deste

Como se fosse um estalo

...

Subiste por mim acima

Senti cada pico teu

Como espadas da esgrima

Silva provocadora

Amor meu...

Minha senhora

...

Já não consigo me libertar

De ti

Já não consigo sair,

sem a roupa rasgar

Já não consigo,

verte nua no meu jardim

Planta silvestre que se veste de mim

...

Sangro por tua vontade

Gotas da vida, do teu fervor

Menina silvestre, de linda vaidade

De verde vestida

Uma cor comprometida

De subir em louco amor

...

Silva de framboesa

De frutos carmim

Doçura na sua certeza

Seiva que dá cabo de mim

Entre meus lábios... Mordida

Amada...

Entre meus braços... Perdida

Agarrada...


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.