Número total de visualizações de página

sábado, 26 de novembro de 2011

Na minha teia


Na minha teia


Quero ser uma aranha

Tecer uma teia

De sorriso estampado

Sem ódio, sem manha

Sorrindo ao sol

Sorrindo em noites de lua cheia

Um tempo alcançado

Em sombras de um girassol

Sonhos e realidades

Vivendo verdades

Em cada fio um caminho

Em cada dia um horizonte

Fios fortes bem tecidos

Gémeos do meu carinho

Desejos de um novo nascer do sol

Quando espreita por entre o monte

Quero ser uma aranha

Em fios adormecida

Sonhar por entre a entranha

No tecer da minha apetecida

Quero sentir teu vibrar se me falas

Na minha teia, em meu leme

No teu querer

Ser a aranha a quem não calas

Na vontade que não teme

No desejo de te ver

Num fio que em mim geme.

Enrolar-te em meu tecido

Num corpo apetecido

De menina lisonjeira

Ter-te no meu coração

Como uma prisioneira


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.