Número total de visualizações de página

domingo, 13 de novembro de 2011

Mar de espuma


Mar de espuma


Ouço o cavalgar

São as correntes do mar

As ondas que namoram a areia

Ouço cavalos a galope,

relinchantes

Nas ondas do meu amar

Em noites de lua cheia

Trotes galopantes

Areias no ar, pedras brilhantes


E eu posso até contar

Pedra a pedra,

as areias do meu mar

Quanto amor a cada uma,

eu tenho para dar.

Ondas revoltosas

Ondas de espuma.

Parecem cavalos ao vento

De crinas douradas

As minhas ondas.

As vontades da maresia

Amor que me atento

Noites estreladas

Minha alegria


É o mar

Os meus cavalos de espuma

As ondas do meu amar

Nas minhas pedras, uma a uma.


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.