Número total de visualizações de página

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Espelho meu


Espelho meu


Hoje olhei o espelho

Reflectiu minha imagem

Era eu!

Nem amarelo, nem vermelho

Nem o cinzento apareceu

O brilho? Era a miragem

Do reflexo…

Que era teu.

Meus olhos penetraram

Sem riscar a macieza da minha face

Nariz pontiagudo e saliente

O ponto entre o meu olhar

Meus olhos solidificaram

Sem que me transformasse

Num ser exigente

Perante o espelho do meu sonhar.

Hoje o espelho estava baço

Minha boca lhe tocava

E na respiração fiz um traço

E… Outro

Outros traços, eu fiz

Hoje meu espelho me diz

Amo-te, te quero

Como riscos de giz

Corações feitos com o dedo

Vontades de uma raiz

Lousa da minha vontade

Na verdade

Um espelho sem medo.


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.