Número total de visualizações de página

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Simplicidade


Simplicidade


Pedra pousada no chão,

dormindo silenciosa

Pedra negra cor de carvão,

em sonhos de mariposa

Pedra do meu valado

Ornamento abandonado

Ingénua, simples... Bocado

Inerte, no chão frio, alcatroado

Aproximei-me devagar

Sentia-te bonita, macia e fina

Devagar, não te quis acordar

Tinhas beleza feminina

Pedra que me hipnotizaste

Tão simples, maldade alguma

Ali sem te mexeres, sozinha

Comigo ficaste,

na suavidade da espuma

Pensei que eras minha

Pedra de ninguém, do meu valado

Pedra do meu chão calcado

Pedra de um tempo drogado

Pedra de um chão adorado

És pedra sem valor

Sou homem, mas pedra queria ser

És o silêncio do meu amor

Sou os teus olhos no meu escrever

Pedra... Pó comprimido

Pedra... Dureza

Pedra... Que me queres enaltecido

Pedra... Amor com certeza


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.