Número total de visualizações de página

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Sem te ter


Sem te ter


Saciei-me sem te ver

Saciei-me sem te tocar

Saciei-me pelo querer

Saciei-me pelo amar

Queria-te beijar sem fronteiras

Levar-te ao colo pelo jardim

Sorrir-te de todas as maneiras

Amar-te e ter-te só para mim

Saciei-me só pela vontade

Saciei-me pela divindade

Saciei-me pela ansiedade

Saciei-me pela saudade

Queria tocar em teu corpo de musa

Levar-te comigo a passear

Sair desta mente confusa

E este verso te recitar

Saciei-me pelas palavras tuas

Saciei-me pelo teu carinho

Saciei-me sem imagens nuas

Sonhando-te um passarinho

Queria dormir no teu travesseiro

Levar-te em sonhos reais

Seres a semente de meu celeiro

Unidos em corpos leais

Saciei-me de ti pelo vento

Saciei-me de ti, separado pelo mar

Saciei-me de ti, na contagem do tempo

Pela vontade de seres o meu par


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.