Número total de visualizações de página

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

De olhos no céu


De olhos no céu


Caído

Cardos que me arranham

Perdido

Espinhos que me espetam

Ferido

Suores que me arrepiam

Dor de amor

Desejos que me aliviam

Maldito tempo, meu agouro

Maldita criação que geme

Cativeiro do meu tesouro

Ganância que o homem teme


Caído

Aturdido

Partido

Falido

Criatura da corrupção

Terra amaldiçoada

Pecado da servidão

O bem e o mal… Nada


Caído

Na esperança

Caído na cura

Ferido se é criança

O bem e o mal… Gente madura

Caído de joelhos implorando

Caído gritando meu nome… José

Caído de mãos erguidas ao céu, chorando

Levantando-me na minha fé


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.