Número total de visualizações de página

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Pecador


Pecador


Não consigo descansar a voz

Meu pecado

Testamento de meu templo

que deixo para vós

Meu mundo errado.

Amor sem regra, sem cobrança

Amor sem contradição

Meu pecado, minha dança

Nos ventos de um furacão

Não consigo fugir

A nudez do corpo me corrói

Meu pecado é teu ventre pedir

Prazeres que a mente no silêncio me mói

Sou a desordem no amor

O caos, o desalinho

O sugar da abelha na flor

Um debicar de passarinho.

Pecado meu, minha graça

O levantar de saia, meu desejo

O erguer do amor numa taça

O sentir de roçar, mesmo de um beijo

Não consigo, me castigar

Amor é a minha punição

O meu pecado em Deus, no amar

Na vontade de um coração

Sou pecador sem maldade

Sou o pecado em ousadia

Não consigo parar, minha vontade

Meu amor nasce de noite,

mas vive todo o dia.


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.