Número total de visualizações de página

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Grito sem voz


Grito sem voz


Silêncio...

Palavras que se queriam ditas

Cúmplice do meu manto

Afagos em palavras aflitas

Cumplicidade do eco sem pranto

É no silêncio que te encontro

Palavras pesadas de um olhar

Cristalino silêncio me sinto pronto

No silêncio de abraços de encantar.


Impossibilidade, tua ausência

Silêncio magoado, minha dor

Silêncio da tua persistência

No falar de uma flor

Teu silêncio luta por mim

Também te amo

Amo-te em solidão, meu jardim

Amo-te no gesto, na entrega de um ramo

Sinto-me engolido, sem voz

Medo... Angustia vazio na mente

Silêncio na tua falta... Sós

Silêncio da vida, persistente.


Hoje te dedico uma gota

Uma lágrima silenciosa

Escorrendo no silêncio, menina marota

No teu segredo menina formosa

Lembro-me de ti, teu encanto

Amargura na solidão

Silêncio teu, milagre de santo

Na fé do meu coração


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.