Número total de visualizações de página

domingo, 18 de setembro de 2011

Fogo de Espinho


Fogo de Espinho


Onde eu estou, tudo brilha

As nuvens brancas clareiam

O céu ilumina e me maravilha

As alegrias em mim se acendeiam

Noite mágica em luz

Noite de beleza celestial

Trovões que ecoam e tudo reluz

O chão estremece, sentindo o festival

Do céu desceram pirilampos luzentes

Desceram anjinhos de mil cores

Caíram luzinhas encandescentes

Caíram fadas e duendes, quantos amores

Onde estava, sentia o brilho

Prefumes de princesas

Aromas de beldades luminosas

Era a magia onde me maravilho

De tantas pérolas acesas

Cristais, diamantes e mentes vaidosas

Do céu desceram conféctis verde esperança

Do céu caíram flores de encantar

Existia em mim música e muita dança

Nas luzes do céu em meu bailar

Onde estava sentia no céu o brilhar

Do céu desciam emoções e carinho

O fogo de artífício do meu mar

Das lindas festas de Espinho


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.