Número total de visualizações de página

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Beijo não dado


Beijo não dado


Houve um dia em que te falei

Voz melodia, simples harmonia

Um dia em que ganhei

E partilhei toda a minha euforia

Quanto te amei,

nesse dia

E quase ceguei,

pois já nada mais eu via.

Sempre te levei comigo ao deitar

Sempre ocupaste a minha mente

Sempre te sonhei, ao recordar

E hoje que te perdi, vivo somente

Consigo te ouvir, todos os dias

Meu ouvido a tua voz gravou

Momentos lembrados, mil alegrias

Conversas bonitas, que a gente amou

Sou feliz, porque não sei ser diferente

Vivo alegremente, na saudade

Jamais a tua presença me é indiferente

No acordar e recordar a nossa verdade

Olá...quantas vezes te disse

Amo-te...quantas vezes te desabafei

Desse lado, não foi aldrabice

Porque me amaste e eu te amei

Houve um dia, em que tudo acabou

Um dia triste

Em que não quiseste, que fosse quem sou

E nesse dia partiste

Hoje te digo olá, novamente

Hoje te espero num ligar

Hoje farás nascer uma semente

Se me leres e responderes,

para me amar

Hoje te espero, na minha saudade

Ontem foi tudo tão depressa

Hoje relembro tua vaidade

Amanhã me dirás de tua promessa

Te espero

Porque eu quero

Te desejo

Na vontade de um beijo.

Que não demos.


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.