Número total de visualizações de página

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Sonhando com dor


Sonhando com dor


Passei o dedo

Sem medo

Senti humidade

Era verdade

O sangue fervia

E eu o sentia

A respiração acelerava

O coração saltava

Passei o dedo novamente

Senti-o dormente

Ficou frio

Não era no rio

Mas era no mar

Passei o dedo

Nas ondas sem medo

Queria gritar

Senti humidade

do meu transpirar

O sangue fervia

Porque eu o sentia

Na veia onde corria

Mas na verdade

era mentira

Eu estava a sonhar

E ao acordar

Vi meu dedo na boca

a me sofocar

Que coisa tão louca

Apertado no dente

estava dormente

Ainda bem que o ferrei

Só assim acordei


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.