Número total de visualizações de página

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Amiga


Amiga


Vozes do mar, eu ouvia

Vozes que ecoam vindo de longe

Sons doces que eu sentia

Ondas de sensibilidade feminina

Vozes de uma menina

Todos os dias mergulhava

e me sentava para lhe escrever

As suas palavras traziam-me tranquilidade

Reflectiam-se em meu ser

O perfume de toda a sua beldade

Deste lado do mar, conseguia imaginar

A delicadeza de seus dedos a teclar

Escrevia para mim, eu sentia um arrepiar

Dizia-me coisas de textura fina

Palavras aveludadas...carinhosa

Imaginava-a vestida com minha rima

Num vestido cor de rosa

É linda a minha amiga...meiga

Sabe compreender o que escrevo

Comenta-me com tal suavidade

Que me alimento de sua ceiva

Só o mar nos separa

Só...

Sinto-a tão perto, que quase lhe toco

Mesmo não sendo verdade

Sinto o seu cheiro perfumado

invadir as minhas páginas, minha essência

A minha amizade...

Sinto que conheci uma benção

Sinto-me acompanhado sem ausência

De uma Amiga do coração


José Alberto Sá

1 comentário:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.