Número total de visualizações de página

domingo, 3 de julho de 2011

Vazio

Vazio

Desprovido…sem ninguém
Despovoado de tuas palavras…sem recheio
Despejado, pelo teu ser apressado…sem vintém
Desocupado…partido ao meio
Oco, fútil…ave sem pio
Desprovido, do meu mar…tua ausência
Despovoado, sem areia…minha essência
Perda, falta…vazio
Sinto-me um fragmento do que disse…
Sinto-me parte de estilhaços…dos dois
Tristeza, aldrabice…
Pois…
Lentamente preparas-te…partis-te
Nem consigo imaginar, tua distância
Aurora em fuga…luz sem alegria
Beijo em silêncio…minha ânsia
Noite escura…jamais será dia
Livre…tu…pedis-te
Permanência, Amor…e porquê? Castigo
Sinto a tua falta…rastejo
Deusa enfurecida, sou teu amigo
Choro…quase não vejo
Foste embora…estás feliz!
Amei-te sempre, meu coração sabe o que diz
Que essa alegria te invada
Que se misture na multidão
Serei o mesmo…minha amada
Mesmo que seja em solidão
Vazio…árvore sem raiz
Esperança…que mesmo sem nada
serei feliz.

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.