Número total de visualizações de página

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Melodia da chuva

Melodia da chuva

Chuva forte
Instantes mágicos, trovoada
Vibrações do Sul ao Norte
da chuva que nos molhava.
Vontade enorme de sair,
ficar no meio da rua
Sentir a chuva cair.
Correntes de desejo,
de te ver nua.
Chove em mim…bandida.
Chuva que despe, menina vestida
Amo-te, é o som da chuva que teima
Amo-te, é o escorrido lacrimal
O desejo que nos queima
Humidades…instinto carnal.
Salpicos da chuva…vibração
Segredos da vida…tempestade
Roupas coladas em corpo moldado
provocando as minhas vontades.
O penetrar em teu coração.
De tecido fino, nas fendas colado,
a chuva caía e eu a sentia
A chuva colava
e realçava…
Luz de menina, o que queria.
Ambos rolamos em sofreguidão
Na chuva que nos abençoava
e unidos ficamos, molhados no chão.
Amei aquele momento
Ao amor ali fiz jus
…loucura animal.
A chuva foi o alimento
a menina, a minha luz.
Melodia torrencial.

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.